Paulo Matricó do Pajeu para o mundo


O Poeta e compositor Paulo Matricó participou sábado às 7hs do programa Nas Asas da Asa Branca-Viva Luiz Gonzaga. O programa é apresentado na Rádio Cidade am 870. Através da internet www.radiocidadeam870.com.br

Paulo Matricó traz no coração e na bagagem a história do Sertão. Nascido no vale do Rio Pajeú, no município de Tabira, Pernambuco, bebeu na fonte da poesia sertaneja. Herdou do pai, "seu" Albino Pereira e de outros menestréis da cantoria como Louro do Pajeú, Pinto de Monteiro e Jó Patriota, a arte de contar histórias simples com o apuro de métrica e a graciosidade do repente popular.

A descoberta da viola e da música como expressão veio mais tarde, (1990), com a formação do grupo Matricó - expressão indígena que significa Pai do Fogo (Instrumento rudimentar que com atrito entre duas pedras gera fogo) - em Caruaru. No grupo Paulo era vocalista e percussionista. Nesta época nasceu suas primeiras composições.

Criado no meio de repentistas, cantadores e forrozeiros, Paulo Matricó traz a semente destes artistas tipicamente nordestinos e naturalmente fortes. 

Carregando consigo as influências de grandes mestres da cantoria e da música brasileira como: Jackson do Pandeiro, Zé Marcolino e Luiz Gonzaga, Matricó faz uma música cheia de poesia e ritmos bem peculiares. Matricó integra uma leva de artistas cujo tema principal é a cultura e mostra para o Brasil e para o Mundo, o lado belo e encantador do Sertão nordestino.

MRPB - Música Regional Popular Brasileira, é assim que Matricó autodenomina seu trabalho, uma mistura de ritmos puramente nordestinos: baião, xote, côco, forró, arrasta-pé, toadas boiadeiras e sertanejas.

Lançou seu primeiro CD em 1995 e até o momento vem construindo uma importante obra, com mai de 7 álbuns publicados, inclusive um deles: MARIA PEREIRA, lançado na Alemanha, em parceria com o compositor alemão Stephan Maria, em 1999, quando residiu e trabalhou por 2 anos naquele país.  Quando esteve na Europa participou de importantes festivais, como o das cidades de Madrid e Sevilla, representando a cultura e a música brasileira.

Em 2014, lançOU O Álbum em CD” LAVRADORES” em homenagem aos trabalhadores na agricultura, sua origem.

Lançou em maio de 2015 a edição comemorativa de 20 anos de seu primeiro CD Outro VeRso.
Em janeiro de 2016, estreou no Recife, no Teatro Santa Isabel, a Ópera Cordelista Lua Alegria, montada a partir do espetáculo popular Cordel Operístico Lua Alegria. O roteiro dramatúrgico é baseado no livro/cordel de Paulo Matricó, intitulado LUIZ LUA ALEGRIA e canta em Literatura de Cordel a história de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião.

A interpretação operística foi narrada na linguagem do cordel, unindo dramaturgia, canto e música, sob o fio condutor de trilha musical pesquisada e produzida sob a influência da tradição popular, com perspectiva cênica no formato de Cortejo-lítero musical e elenco de 28 artistas entre músicos, atores e dançarinos, contando a vida e obra do “Rei do Baião”.

Fonte: Contatos: Fone: (81) 98669930 – E-mail: paulomatrico@hotmail.com


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial